Candidíase e Nutrição

candidiase

A candidíase vulvovaginal é uma infecção da mucosa vaginal causada por fungos do gênero Candida, principalmente Candida Albicans. Esses fungos estão presentes no trato gastrointestinal. Seus sintomas se caracterizam por ardor, prurido e corrimento branco e espesso.

Algumas condições podem aumentar a predisposição ao desenvolvimento da candidíase, como o desequilíbrio da microbiota intestinal (disbiose). O uso de antibióticos, anticoncepcionais orais, corticoides, presença de xenobióticos na alimentação e no ambiente em que vivemos, estresse, entre outros, podem diminuir o numero de bactérias benéficas, permitindo o crescimento desordenado das bactérias patogênicas, incluindo a Candida albicans. Situações que promovam redução da capacidade imunológica também podem aumentar essa susceptibilidade.

nutricao-candidiaseb

Más escolhas alimentares podem favorecer ao crescimento fúngico. A glicose parece ser o principal substrato para o crescimento da Candida albicans. Uma dieta rica em carboidratos refinados (pães, bolos, massas), açúcar refinado, leite e derivados, bebida alcoólica e produtos industrializados deve ser evitada.

Existem alimentos com propriedades antifúngicas e que devem fazer parte de uma alimentação saudável, como orégano, alho, cebola, biomassa de banana verde, óleo de coco extravirgem, legumes e verduras, dentre outros. Além disso, podemos suplementar com probióticos e prebióticos, como coadjuvantes no tratamento da candidíase. A glutamina também pode ser usada, já que existem estudos mostrando que ela tem um efeito modulador sobre a C. albicans, diminuindo sua incidência e reduzindo o número de colônias infectadas.

Referências bibliográficas:

1 – FALAGASI, M.E.; BETSI, G.I.; ATHANASIOU, S. Probiotics for prevention of recurrent vulvovaginal candidiasis: a review. J Antimicrob Chemother, 58: 266-172, 2006.

2 – GRIFFITHS, R.D.; ALLEN, K.D.; ANDREWS, F.J.; JONES, C. Infection, multiple organ failure, and survival in the intensive care unit: influence of glutamine-supplemented parenteral nutrition on acquired infection. Nutrition, 18(7-8): 546-52, 2002.

3 – HOLANDA, A.A.R.; FERNANDES, A.C.S.; BEZERRA, C.M.; MILAN, E.P. Vulvovaginal candidiasis: a review. Femina, 33(5):347-351, 2005.

4 – Paschoal, Valeria. Nutrição Clinica Funcional: dos princípios à pratica clinica. 2ª edição – São Paulo, Editora Ltda, 2007.

5 – REID, G. Probiotics for urogenital health. Nutr Clin Care, 5(1):3-8, 2002.

 

Post elaborado pela Nutricionista parceira:

Thalita Pedroza – Nutricionista RJ

(21) 98083-9415

@thalitapedrozanutri

http://www.facebook.com/thalitapedrozanutri

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s