O que fazer na hora da compulsão alimentar?

compulsão

A vontade de comer (porque isso não é fome) ou a vontade de doce vem com tudo!! O que fazer? Aqui vão algumas dicas para ajuda-los.

– Beba muita água: por diversos motivos! Algumas vezes você está com sede e não consegue diferenciar e caso não seja isso você tenta se sentir saciada com bastante água

– Tome café: o café tem o poder de tirar o apetite

– Coma uvas pequenas uma a uma: as vezes nosso cérebro fica condicionado ao movimento de “levar a boca” – principalmente quem parou de fumar – e por isso vem a vontade de comer – então com as uvas uma a uma você leva algo a boca e auxiliar na diminuição da compulsão.

– Procure um nutricionista e um psicólogo, se isso for algo muito recorrente você precisa do auxílio de profissionais da saúde!

Anúncios

Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANC) – Vanessa Menck

As Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANC) são plantas que tem ganhado atenção do publico em geral, nutricionistas e chefes de cozinha no ultimo ano.

São plantas, raízes, flores, tubérculos que crescem espontaneamente em determinados locais. São chamadas de não convencionais, porque não temos o hábito de utilizá-las em nossa culinária. Frequentemente também, são consideradas ervas daninhas por crescerem quando e onde menos se espera.

São plantas com riquíssimo valor nutricional e adaptadas a região. Por conta disso, não necessitam de agrotóxicos, exigem pouco do solo, pouca atenção no cultivo e pouca água.

Alguns exemplos são: ora pro nobis, peixinho, taioba, seriguela, beldroega, capuchinha. Muitas delas inclusive, são consideradas medicinais tamanha a sua riqueza de nutrientes e propriedades funcionais.

Caruru

  • Origem: América Tropical.
  • Principais usos: suas folhas e sementes são comestíveis, principalmente as folhas tenras na forma de refogados puros ou em misturas.
  • Valor nutricional: fonte riquíssima de betacaroteno e de vitamina A, é considerado um alimento anticâncer e antioxidante. Por ser fonte de magnésio, favorece a produção de serotonina sendo um aliado no tratamento e prevenção de depressão. Possui muitos aminoácidos essenciais e também supre 30% das necessidades de cálcio para um dia.
  • O que substitui: por conter muitos aminoácidos essenciais, é mais proteico que o amaranto e a quinoa.

mangara.jpg

 

Mangará

 

  • Origem: o mangará é conhecido como a flor, coração ou umbigo de bananeira, que tem origem asiática e foi introduzida no continente americano no século 15. Cultivada amplamente nas regiões tropicais pelo mundo para a produção de frutos.
  • Principais usos: culinário e como xarope. Sua casca pode ser usada como prato decorativo.
  • Valor nutricional: por conta do seu teor de fibras, é de grande auxílio em casos de constipação crônica e recuperação da microbiota intestinal, alimentando as bactérias boas do intestino.

ora pro nobs.jpg

Ora-pro-nobis

 

  • Origem: continente americano, em matas ciliares do Cerrado e Floresta Atlântica, nos trópicos desde a Flórida (Estados Unidos) até o Brasil, onde é encontrada da Bahia até o Rio Grande do Sul, com grande força em Minas Gerais.
  • Principais usos: planta trepadeira usada como ornamento paisagístico; na culinária, suas folhas, frutos e flores são consumidas cruas ou cozidas. As sementes podem ser usadas para produzir brotos, que são grandes e vigorosos. Suas folhas também são usadas de forma caseira para hidratar os cabelos.
  • Valor nutricional: alimento com 25% de sua composição de proteínas. Contém lisina, que atua diretamente no sistema imunológico, fortalecendo seu funcionamento prevenindo inúmeras doenças. Fonte de ferro, 100 gramas suprem basicamente toda a necessidade de um homem adulto em um dia. Suas folhas podem ser consumidas refogadas, cozidas, empanadas e em farinha. Ademais,
  • O que substitui: é um substituto importantíssimo da carne em dietas vegetarianas. Por ser uma planta da família da cactáceas, tem viscosidade suficiente para substituir ovos no preparo de pães e bolos.

taioba.jpg

Taioba

  • Origem: América Tropical, sendo bastante usada no interior de alguns estados brasileiros como Minas Gerais e Rio de Janeiro.
  • Principais usos: suas folhas, talos e rizomas são usados exclusivamente bem cozidos, refogados ou fritos.
  • Valor nutricional: fonte de ferro, vitamina A e ácido fólico. Fortalece a imunidade, a circulação sanguínea e a visão. Auxilia no tratamento da gastrite, câncer de cólon e na perda de peso, pois fornece muitos nutrientes e saciedade com baixo teor de calorias.
  • O que substitui: pode ser usada refogada no lugar de folhas escuras como a couve para acompanhar feijoadas.

Post elaborado por:

Ma. Vanessa Menck 
Nutricionista Esportiva
CRN: 39.647
Graduada e Pós graduada pela UNICAMP
Especialista em Alimentação Vegetariana e Vegana
Coach de Saúde e Terapeuta Floral

Redes Sociais: 

Instagram – Vanessa Menck Nutricionista

Facebook – Vanessa Menck Nutricionista

Hidropônicos: eles não são orgânicos!

Há ainda uma confusão em relação a hidropônicos. Ela é uma técnica de cultivo onde as plantas, ficam em estufas e não há solo, as raízes ficam submetidas a uma solução nutritiva 100% do tempo e, por isso, é necessário a utilização de fertilizantes (a maioria à base de nitrato) para nutrir a planta.

E esse acúmulo de nitrato na planta não nos faz bem, este alimento não é orgânico e recebe agrotóxicos assim como os habitualmente produzidos.

O grande benefício aos produtores (e não a nós consumidores) é que a planta fica protegida em estufas do frio, geadas, e etc e assim, há menos perdas.

Por isso, sempre que possível, prefira alimentos orgânicos.

Diferença entre os tipos de sais

Fernando González

Você sabe a diferença? Eu selecionei apenas alguns, os principais, para explicar à vocês.

grosso1

Sal do Himalaia ou Sal Rosa

Ele contém muitos minerais em sua composição, cada sal conforme sua área de extração terá sua composição diferenciada por isso.O ferro é o responsável pelo tom avermelhado e o manganês pela cor laranja.

sal-negro-1

Sal Negro

Este sal eu não tinha muito conhecimento, por isso peguei para vocês a explicação no site da Bombay de Temperos www.bombayherbsspices.com.br

“Em primeiro lugar não existe sal negro na natureza. Você pode encontrar sal cinza, cristal, vermelho, verde, azul, rosa, vítreo, mas negro, não. Os sais negros existentes à venda são, em sua maioria, sais de origem marinha coloridos artificialmente pela utilização de corantes. Alguns utilizam até mesmo pigmentos naturais, enquanto outros “copiam” a forma de produção do Kala Namak com a utilização de carvão ativado. Um exemplo é o sal do Havaí. Portanto, além de possuir todos os minerais presentes no Sal do Himalaia, ele incorpora os efeitos terapêuticos das três frutas que compõem a Triphala além dos de diversas ervas da região onde é produzido”

Enfim, o que podemos tirar desta explicação é que não existe sal negro natural e que ele tem essa coloração por conta de junção de frutas.

sal-marinho

Sal marinho

Ele contém alguns nutrientes que não são eliminados justamente por não passar pelo processo de refinamento do sal refinado. Além disso, o sal marinho é seco ao sol e o iodo presente nele é seu composto naturalmente, diferente do de cozinha que é adicionado podendo até ser tóxico.

 

flor-de-sal.jpg

Flor de sal

É a forma mais pura e rara do sal. Como pode-se ver nas fotos é constituído por cristais e não é utilizado para cocção, ele apenas é utilizado como um “toque” para realçar o sabor de sobremesas ou alimentos.

images

Sal light ou salgante sem sódio.

O sal todos sabem que é composto pro cloreto de sódio, porém agora existe uma nova onda de substituir o cloreto de sódio por cloreto de potássio, o que não deixa o sal menos prejudicial a saúde, apenas reduz a quantidade de sódio e apresenta potássio. Neste caso no light é reduzido no caso do salgante sem sódio é substituído 100%.  Eu já fiz um post sobre o perigo dessa troca, veja aqui.

Água com gás: posso consumir qualquer uma?

agua-com-gasA resposta é não! Tente evitar a água gaseificada artificialmente, águas são gaseificadas artificialmente em um processo no qual o oxigênio é retirado e gás carbônico é injetado em seu lugar, dando efeito frisante ao líquido. E isso pode causar problemas ao estômago.

Procure no rótulo se ela é gaseificada naturalmente.

Mas onde olho? Logo na capa, onde está escrito que é com gás.

Espero ter ajudado!

 

Matcha: o que é? Como consumir?

matcha-green-tea

O matchá é o chá verde em pó, e tem grande importância nos rituais budistas e no Japão. Ele é feito a partir das folhas mais novas do chá verde.

Além de ser usado como chá, ele também é usado na culinária, para confeitaria chinesa e para dar sabor e colorir alguns alimentos.

Ele é cultivado também de modo orgânico e tem todos os mesmos benefícios e catequinas que o chá verde em folhas tem, porém em maiores quantidades. O sabor é um pouco diferente, o do matcha é mais suave.

Como fazer o matcha?

Ingredientes:

1/2 colher de chá de matcha
150 ml de água

Modo de preparo:

Ferva a água
Em seguida desligue.
Coloque em uma xícara o pó de matcha e despeje a água quente
Mexa e dilua o chá